Páginas

16.7.08

Sem idéia

Ainda tento encontrar um assunto
Que me valha um olhar
Perplexo que seja
Complexo talvez
Mas que me diga, mais que em palavras,
Que estou no caminho certo
Ou que errei de vez
Mas se não tenho razão
E sequer inspiração
Como imprimir palavras?
Elas são nada sem idéias
São como feijões podres
boiando na água da bacia
As palavras têm que ser como pedras entre os feijões
Para que não se percam quando passarem a escumadeira.

2 comentários:

Eduardo Schneider disse...

Belos versos.
Sempre é bom encontrar uma admiradora das artes.

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Ingles. Daienne